Capoeira de Angola

Área de Atuação: Capoeira
Representante: Jaime Balbino

Projeto

Capoeira é uma expressão da tradição afro-brasileira calcada em exercícios de convivência coletiva. Visa um processo de auto-conhecimento que não se limita à atividade físico-corporal e busca uma reestruturação do indivíduo.

Angola é o estilo mais próximo de como os negros escravos jogavam a Capoeira. Caracterizada por ser mais lenta, porém rápida, movimentos furtivos executados perto do solo, como em cima, ela enfatiza as tradições da Capoeira.

Mestre Jaime 34 anos de convivência com a Capoeira Angola, professor na Fundação Casa, Oficinas do Saber, CRAS (Centro de Referência de Assistência Social), ASAC (Associação Sorocabana de Atividades para Deficientes Visuais) e outros projetos sociais. Foi Presidente da ASCA (Associação Sorocabana de Capoeira) e possui curso de “Formação de Educadores Comunitários”.

Apoios
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba.

Novidades

Projetos

A Comunidade do Tambor representa oito atividades socioculturais que estão sendo desenvolvidas em parceria com o Núcleo de Formação Cultural no Barracão Cultural em Sorocaba:

Comunidade

Associação Cultural Comunidade do Tambor – Sorocaba/SP

Objetivos
A associação sem finalidade lucrativa tem como objeto principal o fomento de atividades sócio cultural com a prática e produção cultural nos segmentos de musica, teatro, dança, literatura, artes visuais, folclore, artesanato e culinária, como meio de promoção da cultura, defesa e conservação do patrimônio histórico e artístico.

Missão
I – defender, divulgar e preservar os costumes, tradições da cultura brasileira;
II – conduzir o convívio e atuar como elemento de ligação entre seus associados e a comunidade de forma coletiva e universal, por meio de atividades sociais, culturais, recreativas e filantrópicas, procurando manter e difundir os costumes, cultura, arte, folclore e tradições;
III – desenvolver projetos, programas, produzir espetáculos de teatro, musica e dança, eventos, shows, feiras, festivais, palestras, conferências, debates, reuniões, cursos e oficinas, relacionadas com o objeto deste estatuto, para desenvolver, divulgar e aprimorar a cultura popular brasileira;
IV – promover a valorização da cultura brasileira e seu fortalecimento com apoio ao acervo, pesquisa, documentação e registros do folclore e manifestações populares, com divulgação do conteúdo a todos os segmentos sociais;
V – apoiar pesquisadores, artistas e produtores de cultura em geral visando à ampliação das atividades de ação definida no objeto deste estatuto;
VI – manter e fomentar movimentos culturais e as suas mais diversas manifestações através o intercâmbio cultural, entre a cidade de Sorocaba e outras cidades visando à troca de saberes; e
VII – prestar serviço de consultoria e assessoria para entidades públicas e privadas no planejamento e implantação de projetos culturais e artísticos, assim como gerenciar espaços e projetos voltados prioritariamente para o fortalecimento dos movimentos culturais

Maracatu Mukumby

Área de Atuação: Música e Dança
Representante: Rafael Pereira Poujo

Projeto

O projeto consiste no estudo de Maracatu de Baque Virado especificamente o Maracatu Porto Rico, um dos mais importantes e tradicionais grupos de Recife/PE.

O projeto tem como base o ensino musical do Maracatu e a consolidação de um grupo percussivo, trabalhando ritmicamente os detalhes dessa cultura, através de métodos utilizados por mestres de nações de maracatu já vivenciados pelo proponente, criando um vinculo com a manifestação, mantendo um ritmo de estudo e pesquisa e podendo se apresentar a convite de terceiros ou iniciativas internas para divulgação.

   

Apoio
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba, Maracatu Nação Porto Rico e Encanto do Pina– Recife/PE.

Dança Afro

Área de Atuação: Dança
Representante: Maria de Loudes

Projeto

A oficina é um veículo de manifestação artística, que se expressa por meio da Dança Afrobrasileira, desenvolvendo uma proposta estética própria e diversificada.

Possui a missão de resgatar as origens afro-brasileiras e fazer resplandecer a diversidade da cultura negra oferecendo uma aprendizagem continua em todos os aspectos.

A arte da dança desenvolve habilidades técnicas e emocionais para o desenvolvimento do ser; valorizar a música brasileira e africana; despertar o interesse do desconhecido por meio de estudos dirigidos.

Maria de Lourdes, instrutora geral de dança contemporânea e afro-brasileira. Desenvolve metodologia de trabalho baseada em técnicas corpóreas e gestuais dos Sires (xire).

Apoio
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba e grupo Abayomi’n.

Ateliê Sustentável

Área de Atuação: Arte Plastica
Representante: Melissa Branco

Projeto

A proposta do Ateliê Sustentável é criar e ressignificar objetos através de práticas artísticas, livres e direcionadas, para sensibilizar e conscientizar o coletivo sobre questões socioambientais do nosso cotidiano. Um espaço para refletir, dialogar e construir de maneira lúdica e participativa possíveis ações locais de educação ambiental e processos criativos.

Será mediado por Melissa Branco que é designer, licenciada em teatro com habilitação em arte-educação pela Universidade de Sorocaba, especializada em educação ambiental para sustentabilidade no SENAC/SP. Produtora artística e executiva da Companhia Artística Semeando Encanto e facilitadora de processos de aprendizagem participativos, atua com projetos sociais, artísticos e ambientais em diversos setores.

   

Apoio
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba e Semeando Encanto.

Violão Popular

Área de Atuação: Música
Representante: Ricardo Carrano

Projeto

O projeto busca inserir os cidadãos na cultura musical brasileira através da prática deste instrumento em conjuntos, apresentações solo ou como acompanhantes de um instrumento solista ou vocal.

As aulas serão em conjunto no período inicial do projeto, sendo neste período ensinados os primeiros fundamentos da teoria e linguagem musical, história dos ritmos brasileiros, aulas de apreciação e prática de conjunto, servindo também de base para analisar quais alunos potencialmente podem desenvolver mais profundamente o estudo do instrumento.

Após este período, os alunos serão selecionados e formar-se-ão grupos menores de acordo com a capacidade e facilidade de cada aluno, podendo inclusive em alguns casos o ensino para somente um aluno, se assim o professor decidir que tal empreendimento será positivo para aplicação do projeto e sua aceitação entre os membros do projeto e a sociedade.

Ricardo possui licenciatura em música da Universidade Federal de São Carlos é formado em violão erudito, guitarra Mpb/Jazz no conservatório de Tatuí.

Apoios
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba e Método de iniciação musical Ricardo Carrano.

Saramuná

Área de Atuação: Musica, Teatro e Dança.
Representante: Vanessa Soares

Projeto

O projeto propõe uma ponte entre o estudo da religiosidade presente no imaginário popular através das manifestações, simbologia, mitos e ritos da cultura popular afro-brasileira com o fazer teatral. Não apenas como mote para a criação e montagem do espetáculo de teatro, mas também tratando como ação afirmativa.

Tendo em vista as relações étnico-sociais, o presente projeto justifica-se pela necessidade de diminuir as lacunas criadas histórica e culturalmente pelos preconceitos, principalmente de gênero e etnia. Para tanto, reafirma-se a capacidade da arte e da cultura de aumentar as possibilidades de oportunidades iguais entre os cidadãos, em todos os planos do conjunto social. Proposta que suscita o pensamento reflexivo para as relações contemporâneas de arte e cultura popular brasileira.

  

Apoio
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba, Quilombinho e Linc 2014 – Sorocaba/SP

Matinta Perera

Área de Atuação: Pesquisa, musica e dança.
Representante: Bruno Trevisan Cardoso

Projeto

Oficina de música e pesquisa histórica e geográfica das culturas tradicionais populares, tais como: o Maracatu de baque virado, o Bumba-Boi do Maranhão, o Jongo e batuques da região sudeste.

As oficinas consistem em ensinamentos teóricos e práticos da musicalização vocal e dos instrumentos musicais que são tocados nas manifestações culturais, além da transmissão de conhecimentos, de lendas, da história, da estória e da geografia cultural dos mesmos.

Bruno Trevisan Cardoso é formado em Música pela Universidade Livre de Música Tom Jobim (atual EMESP) – São Paulo/SP e está concluindo Licenciatura em Geografia, com ênfase em Geografia Cultural e Arte Educação pela Universidade Federal de São Carlos campus Sorocaba/SP.

 

Apoios
Núcleo de Formação de Artes da Secult Sorocaba, comunidade Quilombola Cafundó e Fundação Casa Sorocaba.